A propósito...

O objetivo deste blog é o de coletar, todos os dias, notícias verdadeiramente positivas e edificantes em prol de um mundo melhor. Colabore para a nossa cura, dedique um tempo para enviar boas vibrações ao planeta! Para entender melhor, leia o Editorial

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O cão superatleta - ou como Arthur foi parar na Suécia


O Adventure Racing World Championships é um evento esportivo extremo, no qual os atletas competem em equipes nas modalidades de corrida, ciclismo e kayaking num cenário selvagem como uma floresta tropical. Na última edição, realizada no Equador, a equipe sueca recebeu um ardoroso fã em sua equipe.

Tudo começou quando a equipe se preparava para percorrer o último trajeto de bicicleta na selva equatoriana. Um cão de rua se aproximou da equipe, faminto e carente. A equipe lhe deu algo de comer e alguma atenção, e isto foi mais do que suficiente para convencer o animalzinho a não mais desgrudar de seus novos companheiros.

O cachorro recebeu um nome - Arthur, em homenagem ao famoso rei bretão das lendas - e seguiu com a equipe sueca. Após um trajeto de 24 milhas de hiking, eles se prepararam para se despedir do amigo peludo quando chegou a hora da prova de kayaking. No entanto, o leal companheiro tinha outros planos. Assim que viu seus companheiros partindo nos barcos, ele saltou para a água e começou a nadar atrás. Vejam na foto abaixo.


Comovidos com tamanha obstinação, não restou outra opção senão a de içar Arthur e torná-lo membro da equipe até o final da competição. Embora tenha atrasado a equipe, Arthur foi muito bem recebido. O cão atleta sofreu alguns ferimentos durante a prova, mas após alguns dias no veterinário, ele finalmente se reuniu ao capitão da equipe, Mikael Lindnord, que o adotou e o levou consigo para a Suécia.



Reportagem: Kyle Michael Miller
Foto: Krister Goransson / Peak Performance
Today News

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Sempre contigo - cão acompanha dono na ambulância


JR Nicholson, um senhor de 85 anos, estava em sua residência quando começou a se sentir tonto. Prudententemente, ele ligou para a emergência e pediu uma ambulância.

Quando já estava instalado dentro do veículo, os atendentes foram surpreendidos pelo aviso de um motorista de que havia um cachorro empoleirado na parte de fora da ambulância! Os técnicos então não tiveram outra opção a não ser deixar o fiel animalzinho, de nome Buddy, entrar e acompanhar o seu dono até o hospital.

O sr. Nicholson passou a noite e foi liberado no dia seguinte, admirado com a lealdade de seu companheiro. Buddy se empoleirou por 32 km até ser percebido pelo motorista, que avisou a equipe de primeiros-socorros.

Reportagem: R7/Gadoo
Foto: AP
R7


Co-criador d´Os Simpsons deixa toda sua fortuna para a caridade


A maioria das pessoas vê Matt Groening como o gênio por trás do famoso desenho anárquico da família americana mais conhecida do mundo. Apenas recentetente ficamos sabendo a respeito de Sam Simon, co-autor, produtor e diretor dos episódios.

E a maneira como descobrimos sua existência é, ao mesmo tempo, trágica e intensa. Sam descobriu um câncer de cólon há dois anos atrás, quando os médicos lhe deram entre 3 a 6 meses de vida. Embora tenha desafiado os prognósticos, ele tratou de não perder tempo.

Embora tenha duas ex-mulheres, Sam não teve filhos e, segundo o próprio, todos os seus entes queridos se encontram em situação financeira confortável. Desta forma, ficou fácil para ele se desfazer de sua fortuna (avaliada em US$ 100 milhões) - e doá-la para a caridade.

Os projetos escolhidos por Sam ajudam crianças carentes de várias partes do mundo, bem como animais em risco. Ele já possuía uma própria fundação que ajuda a alimentar mais de 400 famílias em Los Angeles (EUA).

Em entrevista, Sam Simon contou que toda esta filantropia se tornou uma forma de terapia, e que viveu grandes momentos recentemente, ao conseguir libertar animais presos em cativeiros e devolvê-los de volta à natureza.

Como eu disse em outras postagens sobre o mesmo tema, é impressionante quantas boas notícias são geradas a partir de situações ruins, e o câncer permeia diversas estórias contadas neste espaço. Boa sorte a Sam Simon! Saber o que fazer com o tempo que lhe resta faz toda a diferença para si e para outrem.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O brasileiro que inventou a luz engarrafada e iluminou o mundo!


Uma reportagem incrível trazida pela BBC, sobre um brasileiro anônimo que, mesmo sem querer, ajudou a mudar a vida de milhares de pessoas pelo mundo.

Alfredo Moser, o senhor da foto acima, é um mecânico de Uberaba (MG). Por volta de 2002, a cidade vivia sofrendo com problemas de corte de energia, e ele encontrou a solução para o problema em garrafas pet. É isso mesmo. Por meio da refração da luz do sol numa garrafa de dois litros cheia d´água, é possível gerar uma luz de 40 a 60 watts.

Moser realizou o teste na própria residência, instalando as garradas no telhado. A ideia se espalhou pela vizinhança, pela cidade, e depois pelo mundo! Alfredo não ficou rico com a invenção, mas sua ideia cruzou fronteiras. Calcula-se que hoje, no mundo, 1 milhão de casas estejam fazendo uso da "luz engarrafada".

O diretor da ONG MyShelter nas Filipinas, Illac Angelo Diaz, conta na reportagem que a instituição descobriu o método do mecânico brasileiro e passou a produzir as lâmpadas d´água, além de oferecer treinamento para que pessoas possam fazer e instalar garrafas como forma de ganhar a vida. Neste país, onde a eletricidade é extremamente cara e a população é muito pobre, a ideia revolucionou milhares de vidas. Estima-se que foram instaladas lâmpadas d´água em mais de 140 mil casas. Outros 15 países também implementaram a ideia, caso da Índia, Fiji, Tanzânia, Bangladesh e até mesmo a vizinha Argentina. Segundo Illac, Alfredo Moser mereceria o prêmio Nobel por ter mudado para sempre a vida de milhares de pessoas.

Para o modesto mineiro, basta o reconhecimento, e o fato de ter contribuído. Ele mesmo conta a história de um conhecido que instalou as lâmpadas em sua casa e, graças à economia de energia, conseguiu poupar o suficiente para comprar produtos de primeira necessidade para o filho recém-nascido. Uma estória que merece ser compartilhada, não?

Reportagem: Gibby Zobel
Foto: BBC
BBC Brasil

As biografias das filhas contadas pelo pai, do nascimento ao casamento!


Vejam este gesto, de rara sensibilidade, que que agora chega na terceira geração da família de Marcus Antoni Rebuzzi, de 75 anos de idade. Quando ele nasceu, sua mãe, dona Myres, começou um diário sobre a sua vida, assim como fez com os demais irmãos. Nas páginas, estavam anotações amorosas e muitas cenas da vida de Marcus. No dia seguinte ao seu casamento, Marcus recebeu o diário de presente de sua mãe junto com uma carta. Aquele gesto maternal calou tão fundo que ele decidiu dar continuidade à tradição com sua futura prole, exatamente da mesma forma que sua mãe havia feito.

Marcus não apenas se tornou consultor e auditor, mas também um escritor e poeta nas horas vagas. Suas filhas, Maíra, Melina e Milene também tiveram seus diários feitos pelo pai poeta. Ele registrou os fatos que julgou mais importantes da vida de cada uma delas, desde o mais banal até o mais importante. Ele chegou a registrar até o primeiro diário do bebê que acabou não nascendo, e que seria o primogênito da família.“Somos iluminados por merecê-lo e fazê-lo gente”.

Milena, a primeira das filhas a se casar, recebeu o seu diário também um dia após o casamento, da mesma forma que a avó presenteou o pai: numa caixa e com uma carta. Ela garante que o lê com frequência e chora de emoção. E que também dará continuidade à tradição familiar, assim que chegarem os herdeiros.

Vale a pena ler a reportagem na íntegra com todos os seus detalhes. Basta clicar no link abaixo, como sempre.

Reportagem: Lilian Monteiro
Foto: Juarez Rodrigues
Estado de Minas

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Policiais dão exemplo de solidariedade


Segundo a coluna do Rafael Martini, a PM de Curitibanos deu um exemplo de solidariedade no último final de semana. Ao atender uma ocorrência num bairro humilde daquela cidade, eles constataram que a briga de um casal relatada à corporação fôra causada porque não havia dinheiro em casa para comprar comida. Como chovera a semana inteira, marido e mulher, ambos agricultores, não puderam trabalhar. Foi então que os policiais se mobilizaram por conta própria e doaram uma farta cesta básica para a família carente. Um belo gesto!

Reportagem: Rafael Martini
Foto: N/A
Diário Catarinense

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Cadela adotada acompanha velório de idosa que recuperava presos


Pessoal, não vão acreditar, mas hoje faleceu a nossa personagem de ontem, dona Maria Ribeiro da Silva Tavares! Chega a ser surreal, pois na reportagem da Folha (dia 19/09) não havia menção alguma de que ela já se encontrava hospitalizada. 

Pois dona Maria partiu no domingo, 21/09 e hoje se torna manchete mais uma vez por causa da caridade que prestou também a uma cadela, chamado Milka. Ela chamou atenção de todos durante o velório, ao permanecer a maior parte do tempo ao lado do caixão, encolhida no carpete. 

Milka foi acolhida quando ainda era filhotinha, e foi companheira inseparável de dona Maria nos últimos anos. Ela agora será cuidado pelos ex-detentos, que eram considerados "anjos" pela idosa.

À dona Maria, nossas orações e, acima de tudo, nossos agradecimentos pelo exemplo inspirador que renova nossa fé no ser humano nesses dias tão difíceis. Descanse em paz. Uma pena que a maioria dos brasileiros não conhece a sua história...

Reportagem: Paulo Ledur
Foto: Paulo Ledur
G1/RBS TV

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

A heroína que cuidou de presos a vida inteira e hoje é cuidada por eles


Uma reportagem que vale muita reflexão, especialmente nesses tempos de violência, com pessoas clamando pela pena de morte como solução principal para a redução da criminalidade.

É a estória de Maria Ribeiro da Silva Tavares, assistente social gaúcha que ergueu uma das maiores obras de caridade pouco conhecidas no Brasil. Ela atuou como assistente social no Presídio Central de Porto Alegre, até que perdeu o marido aos 24 anos de idade e decidiu levar 36 presos para morar consigo.

Estes presos obtiveram permissão para trabalhar em obras da prefeitura, dentro de um regime de semi-liberdade. Nenhum deles fugiu, mesmo porque dona Maria concedeu a eles o privilégio de poderem visitar seus familiares.

Desta iniciativa, nasceu e se desenvolveu um patronato - Patronato Lima Drumond - através de uma parceria com o Estado e recursos próprios, além da ajuda dos presos que ali moram ou moraram.

Dona Maria tem hoje 102 anos de idade e continua a viver no mesmo local, junto com outros 63 apenados que cumprem regime semi-aberto. Ela os chama de "anjos" e, para erguer sua obra, gastou toda a herança de viúva e precisou pedir dinheiro emprestado ao próprio filho, pois segundo ela, caso não houvesse recursos para mantê-los por perto, eles retornariam ao mundo do crime.

Os presos a adoram, e hoje são eles quem cuidam dela. Embora lúcida, ela tem dificuldades de ouvir e se locomover por meio da cadeira de rodas. Ela nunca se intimidou com o histórico perigoso de alguns dos internos. Dizia, à época, que a casa não era para os santinhos. 

Dona Maria também defende a tese de que, por métodos adequados, é possível recuperar qualquer indivíduo. Para ela, os lares desajustados são a principal causa da deliquência; e é preciso fazer a profilaxia por meio do amparo à família e à juventude. 

Em tempos difíceis como este que o país atravessa, é inspirador conhecermos um exemplo vivo de abnegação e bondade. A Folha merece aplausos por essa notícia! Para pegar mais detalhes, vale a pena dar uma olhada na matéria completa, que está nos créditos abaixo.


Reportagem: Paula Sperb
Foto: Roberto Sotello/Arquivo Pessoal
Folha de São Paulo

terça-feira, 9 de setembro de 2014

A ex boia-fria que se tornou referência na prevenção de câncer


Essa é uma daquelas reportagens sobre herois e heroínas do dia a dia. Creuza de Moraes Saure conseguiu superar uma infância difícil, que a obrigou a trabalhar como boia-fria. Venceu obstáculos, conseguiu estudar e se tornar auxiliar de enfermagem no Hospital do Câncer de Barretos (SP).

Um dia, ela foi convidada a participar de um projeto do hospital para atividades de prevenção. A ideia era atrair mulheres da periferia de Barretos para realizarem o exame de papanicolau, que detecta o câncer de colo de útero.

Como o público-alvo não comparecia aos locais designados pelo hospital, dona Creuza teve que partir para uma abordagem mais incisiva: visitar pessoalmente as mulheres, munida de uma bicicleta na qual carregava também uma maca portátil e os apetrechos necessários para os testes.

Ela teve que vencer a resistência da população e, sozinha, realizar exames e também bancar a psicóloga para explicar a importância da prevenção tanto para as mulheres como para os maridos, que desconfiavam dela.

Em quatro anos de projeto, ela conseguiu superar a desconfiança e realizar 1.700 exames. Num dos casos, ela teve que insistir por um mês para que uma jovem mãe realizasse os testes. O diagnóstico foi positivo, mas a identificação precoce foi importante para um tratamento eficaz. Quando encontra dona Creuza na rua, a jovem agradece e diz a ela que salvou sua vida.

De lá pra cá, nossa heroína já percorreu nove Estados para realizar e divulgar esse serviço de caráter preventivo, num total de 62 municípios.

Dona Creuza é uma vencedora nata.

Reportagem: Isabela Palhares
Foto: Arquivo Pessoal
Folha de São Paulo

Simon vai se aposentar


Galera, uma bela matéria sobre cães-guias e o importante papel deles na vida das pessoas com deficiência visual. Não deixem de assistir ao vídeo clicando no link da reportagem (aqui)!

A reportagem produzida pela Folha mostra a vida de Simon, um labrador prestes a se aposentar, com seu dono, Alberto Pereira. A devoção de Alberto ao animal é comovente, e a relação entre os dois é uma lição de respeito, gratidão e reconhecimento por tudo que já passaram.

Não percam, vale a pena!

Reportagem: Melina Cardoso
Foto: Davi Ribeiro
Folha de São Paulo

Nada como um banho relaxante depois de um dia de cão!


Divirtam-se! Direto do Youtube e já viralizado.

Menino cego supera barreiras e se torna um prodígio do jazz


José André Montaño é um garoto boliviano de apenas 9 anos de idade. Apesar da pouca idade e de uma deficiência visual, ele já possui fãs em diversos países da América Latina.

José aprendeu a tocar bateria e piano com apenas 4 anos de idade. Um ano depois, formou um trio de jazz e já se apresentou até em festivais internacionais dedicados ao gênero. Seus colegas de profissão ficam impressionados com a capacidade que ele tem de improvisar nas músicas, quase como se estivesse brincando.

Vejam abaixo a reportagem sobre o garoto. A matéria é da BBC (todos os direitos reservados).

Hope, o cachorro cadeirante


Um cãozinho de rua, encontrado ainda filhote e com as patas traseiras amputadas, teve um duplo final feliz. Apenas dois meses após ter sido levado a um abrigo de animais, ele foi adotado por uma cadeirante, Regine Grosinger.

Ela deu ao filhote o nome de Hope e, para que ele tivesse uma vida normal, providenciou uma cadeira de rodas especialmente projetada. Hope consegue correr e realizar atividades no campo ao lado de outros cães sem qualquer problema.



Reportagem: G1
Foto: Heinz-Peter Bader/Reuters
G1
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/09/cao-que-teve-patas-traseiras-cortadas-ganha-cadeira-de-rodas-na-austria.html

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Estudantes cortam cabelo em apoio à professora com câncer

Alunos de uma escola de ensino médio decidiram cortar o cabelo em apoio a sua professora de literatura e língua portuguesa, Norma do Carmo. Ela já havia alertado os alunos que estava com suspeita de câncer e, quando o diagnóstico se confirmou, os estudantes promoveram um café da manhã em apoio.

Da turma, todos os meninos cortaram os cabelos. Das meninas, algumas cortaram um pedaço e outras deixaram os cabelos bem curtos. Segundo o diretor da escola, os fios femininos serão doados para uma instituição que cuida da autoestima de pacientes com câncer.

Um gesto comovente e que certamente servirá de estímulo à professora Norma nesta batalha que se inicia.

Reportagem: Estadão
Foto: Ernesto Carriço
O Dia

Davi Braga, o menino empreendedor


O menino da figura acima é Davi Braga, um alagoano de 13 anos que criou, no ano passado, sua primeira empresa.

A estória começou porque sua mãe possui uma papelaria e encontrava dificuldades em atender clientes com a lista completa de material escolar. Era comum ter que recorrer a outros estabelecimentos para complementar as listas com os itens faltantes. 

Pensando nisso, o menino criou a List-it, uma start-up que ajuda os pais a comprarem o material escolar dos filhos e no qual as escolas também podem cadastrar suas listas de materiais. Do total da venda, a loja responsável pela comercialização fica com 90% e o site, com 10%.

Embora não tenha atribuições formais ou necessidade de fazer jornada de trabalho integral, Davi atua como um divulgador do negócio, e já pensa em mais aplicativos, dizendo que a List-it certamente não será sua última empreitada.

O exemplo do garoto mostra o quão importante é o suporte em casa. O pai, João Kepler, é um investidor-anjo, ou seja, especializado em avaliar projetos de negócios e oferecer o devido suporte para uma empresa iniciante.

A escola também pode ajudar a catalisar o potencial de crianças, se oferecer programas de ensino e estímulo ao empreendedorismo. Há vários projetos em escolas nacionais nesse sentido.

Reportagem: Afonso Ferreira
Foto: Afonso Ferreira
UOL Notícias

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Bombeiros resgatam cachorro preso entre duas paredes


Na cidade de Navegantes, os Bombeiros Voluntários atenderam a uma chamada inusitada feita por uma moradora do bairro São Domingos. Um cão de rua ficou preso entre duas paredes por cerca de três horas, o que obrigou os bombeiros a abrir um buraco em uma das paredes para libertá-lo. A melhor parte é que o cãozinho acabou sendo adotado por uma família logo depois do resgate.

Reportagem: O Sol Diário
Foto: Divulgação/Bombeiros Voluntários de Navegantes
Diário Catarinense

Morador de rua esquizofrênico volta ao convívio familiar


Um mineiro de Juiz de Fora (MG) passou um ano como sem-teto por causa de uma esquizofrenia paranóide não diagnosticada. Ele rodou por ruas de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, mas graças à ajuda de assistentes sociais de um abrigo em Vila Velha (ES), foi possível localizar os familiares - no caso, a filha de 19 anos e a irmã.

Márcio, o ex-morador de rua da reportagem, teve um reencontro emocionante e agora só pensa em retomar a vida, o que inclui um emprego e um encontro com os netos. Graças ao tratamento, ele poderá ter uma vida praticamente normal em sociedade.

Reportagem: Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação/Prefeitura
Folha de Vitória

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Projeto Tamar completa 35 anos com "produtividade a mil"


Quando iniciou suas atividades em 1981, o Projeto Tamar de proteção às tartarugas-marinhas comandou a soltura de cerca de 2 mil filhotes. Ao completar 35 anos neste ano, há muitos motivos para se comemorar. Na verdade, mil motivos a mais, pois apenas este ano, já são 2 milhões de pequenas tartarugas protegidas e devolvidas ao mar.

Graças à iniciativa de biólogos marinhos indignados com a matança promovida por pescadores no Rio Grande do Norte, o movimento cresceu, recebeu simpatia e suporte das autoridades governamentais e hoje é um dos cases mais bem-sucedidos do país em matéria de proteção à fauna nacional.

Na matéria do Estadão, é possível saber como esta história teve início.

Reportagem: Tiago Décimo
Foto: N/A
O Estado de São Paulo

Chibatman, o super-herói no resgate da alegria


Há três anos, quando o terremoto e o tsunami trouxeram muitas tristezas e muito pesar à cidade de Chiba, no Japão, um homem decidiu que era hora de trazer sorrisos de volta à população local. A ideia é no mínimo inusitada: fantasiar-se do super-herói mascarado mais famoso do mundo e sair pelas ruas na sua Chibatmoto, combatendo não o crime, mas a tristeza das pessoas.

Este é Chibatman, cuja identidade se mantém sigilosa, mas se sabe que é um soldador de 41 anos residente naquela cidade. Confiram o vídeo da BBC (todos os direitos reservados) e vejam que até a voz é parecida.

Passageira inusitada transforma uma viagem em alegria pura!


Uma dessas notícias incríveis e bacanas de se contar neste blogue. Uma cadelinha vira-lata se tornou  a atração de uma viagem de ônibus ao ficar entrando e saindo do veículo a cada parada. Ela subia pela frente com a anuência do motorista bem-humorado e, na hora da parada, descia com os outros passageiros. Daí tornava a correr atrás do ônibus até a parada seguinte, quando latia do lado de fora, pedindo para subir novamente e receber o agrado dos passageiros.

Alguns passageiros estranhavam e até reclamavam quando o animal subia, mas depois ficavam pedindo para o motorista deixá-la entrar. Este, com medo de atropelar a simpática mascote, aquiescia. Enfim, um pouco de alegria para os usuários do transporte público de Joinville (SC). 

O flagrante foi feito por uma jornalista, que se encarregou de espalhar a estória. Leitores disseram que já viram a cadelinha andando de ônibus também em outras linhas da cidade.

Reportagem: Marcela Güther
Foto: Marcela Güther
A Notícia

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Australianos deixam um legado a mais da Copa do Mundo


Um belo gesto de solidariedade foi noticiado hoje. Através de doações feitas por cerca de 1.500 torcedores australianos que estiveram no Brasil para assistir sua seleção durante a Copa do Mundo, duas escolas foram beneficiadas com R$ 10 mil reais arrecadados. 

Alunos e corpo docente tiveram a liberdade de escolher quais equipamentos ou materiais seriam mais importantes no momento e, desta forma, o representante do grupo (Luke Simmons, que mora no Brasil) providenciou os computadores, armários e aparelho de TV solicitados.

O grupo, que se auto-intitula The Fanatics, já havia feito ato semelhante na Copa da África do Sul e, com o êxito da experiência, decidiram repetir o gesto também no Brasil. Duas escolas de Porto Alegre foram escolhidas por meio de consulta. Uma bela lição de solidariedade.

Reportagem: Suzy Scarton
Foto: Camila Santos
Jornal do Comércio

Vítima de atentado a bomba se casa com enfermeira que o tratou


Lembram-se do atentado da maratona de Boston, no ano passado? Pois uma das mais de 250 vítimas foi James Costello. Ele teve sérias queimaduras em ambas as pernas e precisou de várias cirurgias para se recuperar. Durante este período complicado, ele contou com o suporte da enfermeira Krista D´Agostino. Foi aí que destino mais uma vez deu as caras. Os dois se apaixonaram e, no último final de semana, se casaram em Boston. Um final feliz para um evento dolorosamente trágico.

Reportagem: Marília Notícia
Foto: Reprodução Twitter
Marília Notícia

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Projeto australiano oferece brindes a quem recicla nos ecopontos!


Uma empresa australiana tomou para si a missão de fazer com que a população de Sydney, na Austrália, seja mais engajada em relação à reciclagem do lixo que gera. A ideia é bastante criativa. As máquinas criadas por uma empresa - a Envirobank - recebe os materiais e, por meio de um cartão previamente cadastrado no site, imprimem cupons que podem ser trocados por gasolina, passagens de ônibus, refeições ou até mesmo doações para uma ONG.

O projeto começou com duas máquinas-piloto, mas como o sucesso foi imediato, a Envirobank já instalou vinte unidades em Sydney, fora as que já estão funcionando em outros municípios do país.

Outra iniciativa bacana, que muitos já devem ter visto, é a da empresa turca Pugedon, que instala ecopontos onde a doação de garrafas de plástico é revertida aos animais de rua. Assim que a pessoa coloca os materiais, a máquina imediatamente abastece um recipiente com ração. Além disso, a água que sobrou das garrafas também pode ser doada e aproveitada pelos cães e gatos de rua.

Confiram abaixo as duas iniciativas:

Austrália:

Turquia:


Reportagem: Boas Notícias - Portugal
Foto: Boas Notícias - Portugal
Boas Notícias Portugal

O desafio de superar a violência e ensinar respeito nas escolas


Esta é uma reportagem da BBC Brasil feita em uma escola brasileira, na qual  uma experiência tem se mostrado bem-sucedida em combater a violência e os péssimos modos dos alunos. Um grupo de psicólogas decidiu criar um projeto que ensina valores como honestidade e respeito de uma maneira lúdica.

Uma pesquisa no mesmo site mostra que hoje, o medo que os professores têm dos alunos é o maior fator de desmotivação por parte dos docentes, mais até do que a remuneração.

Eu já fui voluntário em escola pública, e posso afirmar que a questão da educação brasileira é muito, mas muito mais complexa do que a sociedade pensa. Não será resolvida com mais verbas, muito menos com mais estrutura física. Isso porque há um fator exógeno crucial na equação: a decadência dos valores morais nas famílias - que resulta em crianças frequentemente rebeldes, violentas ou simplesmente apáticas. Muitas sofrem abuso e violência dos próprios pais, e não estou falando de uma palmada, mas de crianças que vão para a escola com marcas nas costas, de espancamento. Acostumadas à violência, elas responderão com violência.

Num país onde até famílias abastadas estão terceirizando a educação de seus filhos para as escolas, nenhuma tentativa de injeção de recursos adicionais (como a ridícula proposta do pré-sal) será suficiente para formação de bons alunos e, consequentemente, de trabalhadores produtivos que o Brasil tanto necessita.

É um bom tema para as eleições. Não caiam no conto desses candidatos burocratas que nunca passaram um dia numa escola pública de periferia. Para eles, tudo se resume a verbas, obras e planos completamente distanciados da realidade.

Apesar disso, recomendo enfaticamente a leitura do artigo. Especialmente se você for, assim como eu fui, um voluntário completamente destreinado e "jogado à arena com os leões".

Reportagem: Renata Mendonça
Foto: BBC Brasil
BBC Brasil

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O abnegado cabeleireiro que oferece cortes grátis nos dias de folga!


O cabeleireiro da foto acima é Mark Bustos. Ele possui um salão na cidade de Nova Iorque. Ele trabalha seis dias por semana, mas no sétimo, não há descanso para o nosso personagem.

Desde maio de 2012, quando foi visitar familiares nas Filipinas, Mark descobriu que sua atividade poderia recompensá-lo não apenas financeiramente, mas também espiritualmente. Enquanto esteve por lá, ele decidiu alugar uma cadeira numa barbearia local para cortar o cabelo de crianças carentes.

Quando retornou aos Estados Unidos, ele decidiu trazer essa energia positiva consigo. Na verdade, Mark já prestou esse serviço de caridade na Jamaica, Costa Rica e Los Angeles. Ele conta que um dos episódios que mais o marcou foi quando terminou de cortar e barbear um sem-teto, além de dar-lhe algo de comer. Ao se olhar no espelho, o morador de rua se virou e lhe perguntou se sabia de alguém que estaria oferecendo trabalho. O resgate da auto-estima foi essencial para que aquele senhor tomasse coragem de recomeçar.

Todos os domingos, Mark cuida do look de pessoas carentes pelas ruas da Big Apple, sempre acompanhado de sua namorada, que o ajuda a providenciar algo de comer para os seus fregueses. Ele faz questão de buscar pontos de bastante movimento em Nova Iorque, para que os transeuntes possam encontrar inspiração e empatia e, desta maneira, serem mais gentis com estes desvalidos. Um belo exemplo para todos nós.

Ah, não deixem de conferir as fotos de Mark em ação por meio do seu Instagram .

Reportagem: Robbie Couch
Foto: Mark Bustos Instagram
The Huffington Post

domingo, 17 de agosto de 2014

Projeto alemão permite que crianças "adotem" avós


Eis mais uma bela iniciativa da Alemanha. Um programa que já existe há 25 anos, permite que casais de idosos sejam adotados por crianças. A ideia é de que haja relacionamento entre crianças que não possuem avós por perto (seja por distância ou desencarne) com idosos previamente inscritos e selecionados.

Na foto acima, vê-se Paul Echstein, que junto com a esposa, Charlotte, são avós emprestados da menina Therese Schiller desde que ela tinha três anos de idade. Com eles, Charlotte aprendeu ginástica, natação e a andar de bicicleta. Ela costuma passar pelo menos um dia com Paul e Charlotte, e até dorme na casa deles, se quiser. A afinidade é tanta que a menina, ao desenhar sua família em trabalhos escolares, faz questão de incluir os Echstein, para júbilo do casal.

Se quiserem saber mais, cliquem no link da reportagem para ter acesso ao vídeo da BBC:

Reportagem: BBC Brasil
Foto: Reprodução/Vídeo
BBC Brasil

Rapaz com síndrome de Down é adotado aos 26 anos de idade


Conheçam a estória de dona Lurdinha, que aos 50 anos de idade, tomou a decisão de adotar Josué, um rapaz de 26 anos com síndrome de Down. Embora tenha convivido com duas famílias interessadas em adotá-lo, Josué passou a vida inteira em abrigos. Agora, com a ajuda da mãe, ele vai atrás do tempo perdido. Não deixem de ler este exemplo de abnegação e amor. Vai fazer o seu dia de vocês muito melhor.

Reportagem: Ângela Bastos
Foto: Charles Guerra
Diário Catarinense

Mecânico ajuda tetraplégico no aeroporto


Um veterano de guerra norte-americano passou por um apuro antes de um embarque. Acontece que a prótese que ele usa em uma das pernas se soltou na altura do joelho, e ele não conseguia recolocá-la porque a chave especial para apertar a prótese estava justamente na mala em que ele havia despachado.

A situação iria complicar e muito a viagem de Taylor e sua namorada, Danielle. Eles tentaram em vão obter a ferramenta com algum funcionário do aeroporto e, aproximando-se a hora do embarque, chegaram até mesmo a ligar para alguém que pudesse levar a chave de que eles tanto precisavam.

Eis que surgiu um humilde mecânico da American Airlines, Keith Duffner, com a milagrosa chave que Taylor tanto necessitava. Na verdade, não era exatamente a chave certa, mas serviu para colocar o joelho no lugar e permitir ao casal seguir viagem aliviados.

Entrevistado, o Duffner afirmou que não havia feito muito, e que "nós (americanos) estamos em dívida para com ele e sua família por conta do sacrifício no serviço militar".

Ah, e caso vocês não lembrem, a história de amor de Taylor e Danielle já foi notícia aqui no blog. Não leram? Não se lembram? Cliquem aqui então. Vale a pena.

Reportagem: Chris Kitching
Foto: Taylormorris.org
Daily Mail

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Policial vai ao casamento da criança que ele salvou 20 anos atrás


O Capitão Joseph Barca foi um heroi há mais de 20 anos para a então pequena Shammarah Hamideh em Chicago, EUA. Quando Shammarah tinha apenas 2 meses de idade, foi Joseph quem atendeu a um chamado de emergência feito pela mãe dela, desesperada porque a filha não estava respirando.

Joseph, que na época era sargento da força policial, tomou o bebê da mãe e fez os procedimentos de emergência para ajudar Shammarah a desengasgar, além de ter realizado a reanimação cardiorrespiratória até que uma viatura chegasse para levá-la ao hospital.

Após ter sobrevivido àquele incidente, depois de 20 anos, a menina cresceu e está prestes a se casar. O contato entre ela e o policial que a salvou foi mantido e, todos os anos, Joseph manda a Shammarah um cartão de aniversário e um cheque. Ela conta que seu benfeitor a trata como uma filha e, portanto, nada mais natural do que tê-lo presente em seu casamento. Para Joseph, o convite não foi surpresa. A família, de origem palestina, se refere a ele como sendo o pai americano de Shammarah.


Reportagem: Joe Kemp
Foto: AP/Yonkers Police Dept
NY Daily News

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Do Brasil ao Alasca ajudando cães de rua


Um casal, que já ajudava moradores de rua na cidade onde moram, decidiu largar as respectivas atividades profissionais e criar um projeto de conscientização sobre os cães de rua. Quando ajudavam os sem-teto, Eleni e Sérgio também levavam ração e água para os animais, já que muitos dos carentes possuía um cão de companhia. A partir da morte do próprio pet - o cachorro Big -, eles decidiram criar o Projeto Mundo Cão.

Sérgio e Eleni pretendem fazer uma viagem de carro do Brasil até o Alasca, como forma de chamar a atenção para o cuidado com os animais de rua, bem como a posse responsável. Serão 60 mil quilômetros e 15 países para visitar. A aventura começa no ano que vem, mas  os dois já fizeram um "teste" ao irem até a Patagônia. Lá, eles distribuíam potes de plástico com ração. As embalagens continham etiquetas com a seguinte mensagem: "Coloque amor e alimento". As mensagens foram escritas em 3 idiomas.

Maiores detalhes do projeto e da viagem-treino de Eleni e Sérgio bem como suas impressões podem ser acessados no site: http://projetomundocao.com.br/



Reportagem: Flávia Mantovani
Foto: Projeto Mundo Cão/Divulgação
G1

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Jovem mudou de vida para cuidar da avó com Alzheimer


A reportagem é extensa, mas merece ser lida. Provavelmente todos nós temos, tivemos ou teremos um parente, amigo ou conhecido com Alzheimer, isso se não formos nós mesmos as vítimas desse mal no futuro.

Vale a pena conhecer uma maneira leve e divertida de se lidar com essa terrível doença.

Reportagem: Jaqueline Sordi
Foto: Bruno Alencastro
Zero Hora

Beethoven, o cão frentista!


Depois de Catie Copley, a concierge de hotel, eu vos apresento Beethoven, o cão frentista.

Não é incomum que frentistas adotem cães de rua, eu mesmo já vi alguns destes sortudos vira-latas que deixaram as ruas para acompanhar a rotina desses profissionais. Neste caso, Beethoven foi adotado por todos os funcionários do posto, que se compadeceram do estado precário do cão e o alimentaram, deram carinho e providenciaram cuidados médicos. A afeição se tornou recíproca, e desde que recebeu cuidados, Beethoven nunca mais deixou o posto e seus amigos da cidade de Santos, SP.

Como a regra interna determina que todos andem identificados, o frentista Marcos Wilson Silva pediu ao chefe que confeccionasse um também para o mascote. Beethoven se tornou a atração do posto. Vários clientes curiosos pedem para tirar fotos com ele, e o animalzinho recebe muitos afagos dos clientes.

E é Marcos Silva quem arremata com uma ideia genial: "Todo mundo faz carinho nele, é bem querido por todos. Seria bom se todos os comércios pudessem adotar um animal de rua".




Reportagem: Anna Gabriela Ribeiro
Fotos: Anna Gabriela Ribeiro
G1

Multidão de passageiros empurra trem para soltar homem preso


Numa cidade australiana, um homem escorregou enquanto embarcava num trem e prendeu a perna entre o vão e a plataforma. Rapidamente, várias pessoas cercaram-no para tentar ajudá-lo a se libertar, sem sucesso. Foi então que aproximadamente 50 pessoas se juntaram para empurrarem o trem ao mesmo tempo por alguns centímetros, e finalmente conseguiram libertar o passageiro. Ele não sofreu ferimentos graves. Embarcou normalmente no trem e foi trabalhar. No vídeo abaixo é possível acompanhar toda a estória, filmada e divulgada pela Public Transport Authority of Western Australia, responsável pelo transporte ferroviário do local.

Reportagem: BBC Brasil
Foto: Imagem/Reprodução
BBC Brasil

sábado, 2 de agosto de 2014

A jovem que ensina língua inglesa a moradores de rua do Rio


Uma reportagem do Globo mostra as alegrias e agruras de ser voluntária junto a uma comunidade de moradores de rua do Rio de Janeiro. A responsável pela ideia é Melina Cardinal, uma canadense que veio ao Brasil realizar serviços de voluntariado, uma prática muito comum entre os jovens daquele país. Ela já trabalha em uma ONG, mas decidiu, por conta própria, tentar ensinar inglês aos sem-teto. Vale a pena conferir a matéria na íntegra, pois só quem já foi ou é voluntário sabe das dificuldades de levar adiante um projeto como este por causa das más condições do "público-alvo", sejam de saúde física ou psicológica.

Reportagem: Fernanda Pontes
Foto: Márcia Foletto
O Globo

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Ex-moradores de rua se tornam guias turísticos em Portugal


Na cidade d´O Porto, uma iniciativa muito bacana promovida pela WelcomeHOME, uma organização focada em ressocializar moradores de rua. É o WelcomeHOME Tours, uma empreitada organizada através de 2 circuitos diferentes, nos quais os turistas são guiados por ex-moradores de rua. Um iniciativa que poderia ser copiada pelos nossos políticos, não?

Reportagem: Boas Notícias - Portugal
Foto: WelcomeHOME
Boas Notícias - Portugal

Estudantes se mobilizam para curar cão que vive no campus universitário


Ao saberem que um dos cães que vivem no campus da UFSC estaria com um tumor no olho, estudantes fizeram uma grande mobilização para arrecadar donativos para os gastos veterinários dele. Fred, o cão da foto, infelizmente não pode se submeter à cirurgia por conta da gravidade do tumor e por ser também um cão idoso.

Apesar disso, os estudantes não se importaram e preferiram fazer a doação para que ele continue tendo medicamentos homeopáticos e alopáticos e todos os cuidados necessários. O total arrecadado ultrapassou o valor exigido para a cirurgia e, segundo um dos organizadores do evento de arrecadação de fundos, todo dinheiro que sobrar será guardado para casos de tratamento médico com os UFSCães, como são conhecidos os cachorros que circulam pelo campus.

Fred teve sorte. Apesar de ser um cão de rua, sempre foi bem tratado não apenas pelos estudantes como os funcionários da universidade, que lhe davam banho regularmente e o alimentavam. Resta apenas registrar este amor da comunidade local pelos animais de rua e torcer para que Fred não sofra tanto com a doença no final de sua vida.

Reportagem: Mariana Della Justina
Foto: Pedro Stropasolas/Arquivo Pessoal
Diário Catarinense